Aonde você quer chegar?

domingo, 21 de agosto de 2011




Termino meu domingo com essa pergunta recorrente em minha cabeça. Ela vem recheada de momentos de reflexão, afinal, a gente tem que se situar e ver se a nossa trajetória está de acordo com o que se quer verdadeiramente para a vida. Mais uma vez bato na tecla de que a correria do dia a dia nos leva a fazer coisas e mais coisas sem que tenhamos a noção exata de qual o propósito de tudo. Será que minha rotina atarefada só tem relação com o ganho financeiro, com minhas posses ou com o que ainda quero conquistar? E sobre essas conquistas, será que só estou pensando em "ter" coisas?
Bom, tudo isso aflorou com muita força no dia de hoje, pois tenho tentado buscar o valor que vai além do monetário na minha vida. Percebo cada vez com mais força que o que tem mais valor emocional na verdade tem relação desprorcional com o seu custo em reais. As coisas boas da vida são muitas vezes as mais singelas e simples do que se pode esperar.
Logo pela manhã de hoje, convidei meu marido para dar uma volta por aí, só para sair um pouco da rotina e desviar o pensamento dos problemas que teremos que enfrentar pela semana. Lidar com a falta de saúde de alguém querido na família é algo que nos coloca diante da nossa pequenez e impotência. E a simples situação de ir dar uma volta até a cidade vizinha mais próxima, que apesar de já conhecermos muito bem, tem o poder de nos desanuviar a mente para encarar com mais serenidade o que virá a seguir. Bom, pelo menos para nós é assim que funciona.
O estupim de tudo isso foi a situação a seguir. Durante o nosso passeio, fomos supreendidos por um motorista que, sem a menor cerimônia, apertou a buzina veemente e impacientemente. Qual o motivo? Acho que por termos reduzido a velocidade para observar uma loja linda de móveis rústicos. O ser em questão nos ultrapassou com seu carro luxuoso, prosseguiu e, apenas alguns metros à frente, parou defronte sua imensa casa, ou seria melhor dizer palácio, aguardando o pesado portão eletrônico abrir, diante do olhar atento de seu segurança que estava estrategicamente posicionado em local elevado da ostentosa residência. Passamos por eles, olhamos para a cena e seguimos nosso caminho.
Infelizmente um sentimento não muito bom tomou conta de nós e por alguns instantes ficamos em silêncio. Depois nos perguntamos qual seria o motivo de uma pessoa que estava prestes a adentrar em sua casa ter um comportamento digamos que não tão apropriado. O que estaria dentro do coração desse homem ou dessa mulher que justificasse a falta de educação e respeito ao próximo?
Enfim, meu coração se acalmou e agradeci a Deus por perceber e dar valor às pequeninas coisas que acontecem em minha vida. Agradeci por gostar de pequenos mimos e valorizar pequenos gestos. Voltamos para nossa casa que não é nenhum palácio, com nosso carro que não é do ano, mas com a alma tranquila por amarmos tudo o que temos.
Agora, estou aqui acabando de escrever essas palavras, esperando um cheiroso bolo sair do forno, enquanto meu filho estuda no seu quarto e meu marido assiste seu time na tv. Está um ventinho frio lá fora, balançando as roupas que coloquei no varal. Já admirei mais de uma centena de vezes minhas orquídeas que floresceram e vou levantar daqui para passar um cafezinho, colocar a mesa e tomar um lanche com minha família. Hum! Apesar de tudo, tô tão feliz com a minha vida.


Deus muito obrigada por tudo!


Boa semana para todos!!!

Beijokas e inté.


15 comentários:

Carine disse...

Oi Márcia!
Não pude deixar de entrar e conferir sua postagem, fiquei pensando, o que ela quer dizer com isto? E depois de ler, matei minha curiosidade! Que lindo! Estou aqui pensando, eu tinha que conhecê-la, que pessoa encantadora, que alma tranquila e serena... Ah! Se todos fossem assim iguais à você, com certeza seríamos melhores e todas as grandes coisas da vida, as quais damos maior importância, se tornariam menores... Você sabe dar valor ao que é bom... O amor está nas pequenas coisas e nas pessoas que amamos! Nada como ler palavras sinceras e espontâneas, você me emocionou!
Beijos querida!

www.rosaacessorios.blogspot.com

Eliana disse...

É isto aí!Estar feliz com o que se é e com a própria vida.Mas não é fácil exatamente pelo custo emocional que temos para alcançar o que achamos que nos deixa bem.Talvez as pessoas daquele carro não tem o que você tem:vida real,com afeto e companhia.que é o que falta para a maioria das pessoas.
Boa semana!
Bjs,
Eliana

Beth disse...

Li seu comentário no blog da Laély, gostei e visitei o seu. A partir de hoje serei sua seguidora.
Abraço, Beth.

Teresa Agrello disse...

Oi Márcia,
Você tem razão, podemos ser felizes com tão pouco e às vezes ficamos escravos de desejos que não fazem o menor sentido em nossas vidas.
É tão bom desfrutar momentos como este, café quentinho, bolo cheiroso, família reunida... isso sim tem valor... mas não se paga com dinheiro nenhum do mundo.

bjins e uma semana abençoada!

Márcia Lima Palamim disse...

Carine,
obrigada pelas palavras carinhosas, porém vou te contar uma coisa: estou longe de ser uma pessoa tranquila e serena. Esse é o meu objetivo e procuro sempre entrar no prumo. Não é fácil não viu?
Fui conhecer seu blog, mas não consegui deixar coment lá. Isso tem acontecido nos blogs em que a página de coments não abre em janela pop-ups. Enfim, deixo minha resposta aqui.
Beijokas e boa semana.

Márcia Lima Palamim disse...

Eliana e Beth,
brigadinha pela visita e pelas palavras bonitas.
Beijokas e boa semana.

Karina Grechi disse...

Márcia, adorei sua postagem e a forma como escreve. Meu marido e eu estamos seguindo nesse mesmo caminho que vc, nem sempre é fácil entender as atitudes alheias, mas procuramos respeitar, mesmo quando elas são agressivas e diretas. Penso que, agradecer por tudo o que temos, seja lá o que for, é obrigação, pois ao olharmos ao redor, percebemos quanta gente que sobrevive com muito menos. Chego a ficar envergonhada quando reclamo de algo, e mais alí na frente, me deparo com uma situação muito pior...
Obrigada pelas palavras, adoro conhecer os pensamentos das pessoas e refletir juntamente com elas, aprendendo muito mais e talvez me tornando um pouquinho melhor, quem sabe?!
Um beijo grande!
Vc é uma artesã de primeira e agora descobri seu lado humano que não deixa nada a desejar!

Rosely disse...

Márcia
Como é bom saber que Deus dá sabedoria aos simples de coração, pois os soberbos não precisam de Deus , eles têm o donheiro como companheiro.
Tenha uma deliciosa tarde e Deus abençoe você e sua família.
Rosely

Laély disse...

Márcia, sua surpresa foi quase um susto, justo porque não esperava tal reação!
Lido com gente no meu trabalho. Gente doente, física e emocionalmente. Pela experiência de anos eu deveria esperar qualquer coisa, de qualquer pessoa: reações passionais, exaltadas, desmedidas...É assim que nós somos, quando em situações críticas. Mas ainda surpreendo-me!
O contrário, também acontece: receber um agradecimento, um gesto de carinho, ou gentileza, de alguém que não imaginaríamos, ou de quem não esperaríamos.
Outro dia fui ultrapassada pela direita por uma motorista de táxi que arrancou no sinal, quando abriu. Buzinei, pra ver se ele se tocava. Ele, cinicamente concluiu a ultrapassagem e ainda fez "dedinho". Sinceramente fiquei chocada! Ainda mais, porque o cara deveria ser profissional ou, pelo, menos, era o que se esperaria dele.
O negócio é não desanimar de fazer a nossa parte porque colhemos o que plantamos, mais cedo, ou mais tarde.
Abraço!

Isadora disse...

hmmmmmm essa sua postagem me lembrou muito três músicas que eu amo:
http://www.youtube.com/watch?v=0TlvRxo1QtY

http://www.youtube.com/watch?v=NypUNlWaTTc

http://www.youtube.com/watch?v=3iINb6IlyxI

Essas músicas representam a simplicidade que eu persigo, tão difícil de conseguir, tudo isso que vc falou no post... Para ouvir com o coração! Sobre o viés, eu já fiz viés mas sem o aparelhinho. Achei um saco, cortar 45 graus, ver o fio do tecido.. paciência zero. Nunca experimentei com faz-viés.
Bjks

Susana Delvan disse...

Adorei tudo que escreveu Márcia!!! Eu desde que casei começei a ver que não era o trabalho e o dinheiro que me deixavam feliz, eu me sentia realmente bem era em casa, cuidando das minhas coisinhas, meus cachorros, meu marido, até que tomei a decisão de fica em casa, ouvi muitas criticas da família de amigos mas eu nunca fui de dar ouvido aos que os outros acham, eu faço o que tenho vontade, o que me deixa feliz, e se um dia não estiver feliz mudo de novo, mas não vou deixar de fazer o que tenho vontade porque os outros acham que não é o "certo".
Bjs

Anônimo disse...

Márcia,

A cada dia que passa, me torno mais sua fã. Você tem uma alma limpa,é doce, gentil, sincera e honesta.
Sabe, acho que o mundo está precisando de mais pessoas que pensem assim. É lindo quando conseguimos enxergar a beleza mesmo nas pequenas coisas.

Fique com Deus

Elizabeth

Claudia disse...

É isso aí, Márcia: um brinde às pequenas/grandes coisas que nos fazem tão felizes!! É uma pena que nem todo mundo possa ser feliz assim, né?!
Bom meio de semana pra vc e espero que tudo se resolva bem!

Dricca Kastrup disse...

É isso aí, garota !! Olha só o favor que o(a) motorista apressado(a) te fez... A vida é engraçada :) bjobjo

Anônimo disse...

É maravilhoso quando conseguimos enxergar a beleza até mesmo nas pequenas coisas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

  © Blender DMP

Retornar ao TOPO