O prazer de fazer

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Como é bom sair da rotina e fazer algumas coisinhas de forma diferente. Estou falando isso por que no último feriado tive um dia tão agradável sem nem sair de casa. Sabe aquele dia que começa super tranqüilo, em que dá tempo para fazer tudo o que a gente quer, sem correria nem stress?
Acordar, abrir as janelas do quarto e ver o sol inundar a casa. Tomar um gostoso café da manhã, sem ter que sair correndo para trabalhar ou fazer qualquer outra coisa do apressado cotidiano. Entre um golinho ou bocadinho, conversar calmamente com quem a gente gosta.
Escolher o cardápio para o almoço, selecionar ingredientes e fazer a química da culinária aromatizar a casa com cheirinhos de fome. Preparar uma mesa bem caprichada enquanto toma um vinho e ouve uma boa música. Fazer um prato que enche os olhos antes de encher a barriga e se saciar não apenas de nutrientes, mas de alimentos para o espírito. Sentir o peito encher de alegria ao ouvir o filho dizer que hoje você caprichou. Pequenos gestos, singelos momentos...
Cada vez mais, tenho certeza que o grande segredo da vida está em apreciar as coisas mais simples. Viver esses momentos traz diversas sensações que, sem querer plagiar nenhuma campanha publicitária, não tem preço!
Acho que isso explica o motivo de ainda hoje, com tantas facilidades e possibilidades de encontrar tudo pronto para comprar, existirem muitas pessoas que são verdadeiramente apaixonadas por fazer algo com as próprias mãos. Seja cozinhar, bordar, crochetar ou tricotar... A mágica está na transformação das coisas: alimentos, linhas, lãs, tecidos... não importa. O que importa é se entregar ao mundo de sensações que acompanham essas simples atividades: cores, texturas, formas, aromas e sabores que nos absorvem por preciosos momentos.
A vida moderna nos trouxe muitas comodidades, mas devemos ter cuidado para não perder certos tesouros por esse caminho desvairado, apressado e maluco do nosso dia-a-dia.



Comidinha que eu preparei no almoço: polenta com calabresa ao molho.
Ao som de Cio da Terra, de Milton Nascimento:
Debulhar o trigo
Recolher cada bago do trigo
Forjar no trigo o milagre do pão
E se fartar do pão
Decepar a cana
Recolher a garapa da cana
Roubar da cana a doçura do mel
Se lambuzar de mel
Afagar a terra
Conhecer os desejos da terra
Cio da terra propícia estação
E fecundar o chão


9 comentários:

Monica disse...

Márcia realmente vc teve um dia perfeito!!!É tãobom quando podemos fazer aquilo que gostamos sem pressa....e a música escolhida perfeita, amo!!!!
bjos

Luciana F. Damiano disse...

Hum...faz tempo não como uma polentinha....sua postagem está linda!

bjs
Lu

Marico disse...

Concordo com tudo o que você escreveu.
As coisas mais simples são as que fazem
o nosso dia mais feliz e normalmente nós
não percebemos isso, uma pena!
bjs

tecaagrello disse...

É verdade... mas essa polenta me fez salivar, acredita???

Que bom que seu dia foi agradável, espero que venham outros.
bjins
Teresa

Carla disse...

A postagem foi tão caprichada quanto o almoço. Tem nela o gostinho do texto, os ingredientes certos (palavras) formando sabores (frases) que nos enchem a alma. Foi uma delícia ler a sua postagem! Olha, você caprichou! Logo no começo dá até aquela boa invejinha do seu dia perfeito. Em seguida, dá uma foooome de ver a foto do prato! E, por fim, uma nostalgia de ler a letra da música. Isso não foi a química perfeita? Aaaah, foi!

Acho que todas nós podemos, pelo menos uma vezinha por mês, ter um dia perfeito assim. Infelizmente, a correria dessensibiliza a gente, faz com que não percebamos essas coisas pequenas e tão comuns que fizeram o seu dia perfeito. O sol, a luz, os cheiros e texturas... Estamos sempre cercadas por isso, entretanto, na pressa do dia a dia, não as notamos e, depois, ficamos meio que vacinadas contra elas. Uma pena!

Vi o cachecol roxo. Ai, tão lindo! O meu está pronto, mas ainda precisando das bossas. Gostei do seu porque disse logo ao que veio. Mas é assim com quem sabe: quem sabe não precisa inventar moda. Já quem não sabe, quer compensar a falta do conhecimento com trelelês e penduricalhos. hahahaha! Eis o meu caso.

Carla disse...

Pois, querida, saiba que também adooooro seus comentários! Eles têm sempre a ver com o que é mostrado na postagem (por incrível que pareça, por mais óbvio que seja, comentar o que é mostrado é uma "arte" quase perdida por muitos dos que visitam blogs). Isso é bom, não é? É gratificante notar que o outro não foi nos visitar só para responder um recado ou para dar bom fim de semana, ou seja, que os comentários não são usados como meninos de recado. hahaha!

Aí, eu me pergunto, como deixar de comentar, por exemplo, uma postagem bonita como essa sua, com tantos valores que estão se perdendo no meio da pressa cotidiana, com uma comidinha com essa carinha convidativa, com uma música tão bonita? Pelamordedeus, né! hahahaha! Comentar suas postagens, sobretudo, é facílimo, sempre. E, creia, também um grande prazer.

Rosana Midori disse...

Oi Márcia!
Primeiramente, gostaria de agradecer sua visita ao meu blog e as palavras de carinho!
E em segundo, que concordo com tudo o que vc escreveu neste post... as coisas mais simples da vida, quando direcionamos um olhar mais atento, tornam-se mágicos. Realmente o nosso dia-a-dia atribulado é que nos cega para esses momentos tão especiais!
E em terceiro... tb adoro tricô! Prometo que sempre que puder darei uma passadinha aqui para ver as novidades e as coisas bonitas que vc faz!
Bjs e obrigada!!!

Judy disse...

Eu simplesmente não sei dizer se gostei mais das palavras tão bem ditas do post, da polenta que me deu água na boca ou destas suas super produções dos posts abaixo.
Está tudo tão aconchegante por aqui, parabéns!!!
Vamos ver se nos "encontramos" mais, ok?

Uma ótima semana! Abraço,

Judy

aprendiz disse...

Delicia!
Polenta com molho de calabresa, vinho, boa companhia...tudo de bom mesmo!
Vou topar sua sugestão para o proximo findisemana, farei um belo molho de tomates italianos, uma linda polenta dourada, tudo acompanhado por um companheirão há 33 anos...curtir o que fazemos de melhor é sinal de inteligencia, né não?
Ou coisas de Marcias, né xará?
Bjs e obrigada pelas sugestões.
bjs
Marcia Martha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

  © Blender DMP

Retornar ao TOPO